Conversas/Indicações da Semana

Pode um filme salvar uma saga?

Felizmente a resposta é sim. Fui este último sábado ao cinema para ver o novo filme dos X-men: Dias de um futuro esquecido, e confesso que estava bastante receoso. E não me faltavam motivos para tal receio.

Sou fã de quadrinhos, dos X-men acompanho desde que aprendi a ler, sendo muitas vezes alfabetizado com as Hq’s, que criança já sabia ler raios ópticos, entendia telecinese e telepatia, e sabia a leitura e escrita de palavras como “Adamatium”? Bom eu sabia essas coisas. Os X-men sempre me cativaram, sempre foram heróis complexos e verdadeiros para mim, sempre tiveram visões de mundo distintas e eram vilões e heróis ao mesmo tempo. Era completamente diferente de outros grupos de heróis que eram apenas bons.

Quando soube que iriam começar a fazer filmes dos X-men para o cinema nem preciso dizer que meu coração juvenil quase saltou pela boca não é mesmo? Fui ver a todos da primeira trilogia no cinema, e para ser muito franco, eu gosto da primeira trilogia. Mesmo do terceiro filme.

Apesar dos erros e exageros, acredito que a primeira trilogia captou muito da essência dos X-men e do caráter mutável dos personagens. E então veio os filmes Origem e First Class. Esses filmes ao me ver são terríveis. Errados, com roteiros deturpados, uma linha temporal totalmente diferente da que eu li e da historia que conheço a anos. Não preciso nem citar a eterna piada que é o Deadpool, ou o fato de ter o irmão caçula do Scott estar convivendo com o Magnus e o Xavier jovens…

E então veio o filme do Wolverine Imortal, o que me deu uma renovada de esperança na franquia do cinema e o anúncio de “Dias de um Futuro esquecido”, que é uma historia icônica a anos dos X-men, que nos mostra o quanto o futuro pode ser terrível ao termos ações impensadas de humanos e mutantes.

X-men: dias de um futuro esquecido

 

Tendo todos os motivos do mundo para temer, acompanhei as noticias de que iriam utilizar o ambiente de First Class, que iriam colocar personagens que não estavam na historia principal (Apache, Bishop, Blink e Mancha Solar estou olhando para vocês) e que a personagem principal deixaria de ser a Kitty para ser o herói que “todos amam” Wolverine.

Bishop, Blink, Apache e o brazuca Mancha Solar

Bishop, Blink, Apache e o brazuca Mancha Solar

Mas eu estava receoso a toa. Não necessariamente a toa, mas digamos que eu fui ao cinema e me deparei com uma historia “inédita” e repleta de easter eggs dos meus heróis favoritos.

Para quem leu a Hq original é realmente difícil, porém um dica importante é: Esqueçam o titulo do filme. Sério, vão com o espirito desarmado. pois desse modo vocês irão curtir a experiencia que o filme proporciona. mas vamos falar do filme…

O filme alterna momentos incrivelmente rápidos e explicativos, e outros mais dramáticos e críticos, as cenas de ação estão de arrepiar e as piadas internas são bastante úteis e bem utilizadas. Os efeitos especiais, as sentinelas e a capacidade máxima dos poderes que os mutantes utilizam é de tirar o fogo.

Não que o filme não tenha falhas, ele tem (muito personagens subaproveitados, uma série de parenteses abertos sem necessidade, focar em personagens pelos atores que os fazem não pela trama em si) mas de modo geral o filme consegue resolver todas as tramas, consegue prestar uma “homenagem” muito boa a Hq e consegue fazer algo que parecia impossível, revitalizar e unificar a franquia.

Falaremos um poucos dos personagens, o Bishop não fala nada, a Blink está lá apenas para poder fazer as cenas de ação desenfreada (porém poderia ser substituída pelo Noturno que todos já conhecem) o Mancha Solar não tem peso nenhum na historia, o Apache está lá apenas pelos seus poderes… A utilização de Mércurio na historia gerou uma das melhores cenas do filme, e um importante gancho com a historia de Magneto, mas sabemos que ele só fui utilizado no filme de birra da Fox pois a Marvel irá utilizar ele e a Wanda no próximo filme dos Vingadores.

Infelizmente um sensação que o filme deixou foi “Tal ator esta bem cotado com o público, vamos dar um modo da historia ser focada nele” e não estou me referindo ao Wolverine.

Porém mesmo com esses problemas, mesmo o filme não sendo a hq o filme é soberbo. Tem tudo que uma  boa historia dos X-men precisa, tem ação, drama, traições, profundidade e muitas surpresas. Se puder fuja dos spoilers, ao assistir o filme pulei da cadeira de emoção algumas vezes, xinguei outras vezes, vi mortes muito parecidas a da hq original e isso foi incrível.

E principalmente, fiquem até o fim dos créditos. A cena pós crédito me deixou querendo pular dois anos no tempo para poder ver a ascensão do meu personagem preferido e maior antagonista dos X-men (e que caracterização impressionante).

E o meu momento fanboy do texto é que este filme é MELHOR FILME DE 2014.

Anúncios

Um pensamento sobre “Pode um filme salvar uma saga?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s